Riquexó Timeline

A Liteira — Uma liteira é uma cadeira ou cama portátil, aberta ou fechada, suportada por quatro varas laterais. É transportada por dois ou quatro liteireiros ou por dois animais, um à frente e outro atrás. Já tinha sido dado esse passo gigante para a humanidade que foi a descoberta da roda, no entanto as liteiras eram muito utilizadas como meio de transporte de personalidades abastadas na Roma Antiga, pelo conforto, mas essencialmente pelo estatuto dos mais (poucos) privilegiados.

A liteira moderna. Sedan chair — Normalmente eram escravos e não animais que a suportavam para minorar a confusão das vias de comunicação da metrópole romana na Antiguidade. Um liteireiro é o condutor da liteiras. Na Roma Antiga os liteireiros eram escravos que transportavam nas liteiras dos seus amos, ou as pessoas que os solicitassem e pagassem o preço pré-estipulado. Este meio de transporte que marcava de forma muito vincada o poder de quem o usava. Chegou nestes moldes até à Renascença, funcionando como hoje em dia trabalham os táxis passando o passageiro da posição de deitado própria aos romanos, para sentado.

O Riquexó — O preço, ou valor deste tipo de motor subiu 1 ponto e foi assumida a roda como coadjuvante. Não tão confortável para o passageiro, mas muito mais leve para o pedi-motor. O riquexó (em inglês: rickshaw) é um meio de transporte de tração humana em que uma pessoa puxa uma carroça de duas rodas onde se acomodam um ou dois passageiros. Este tipo de veículo foi mais usado no oriente.

O vocábulo riquixó tem origem na Ásia onde eram amplamente utilizados como meios de transporte pela elite. Atualmente, no entanto, os riquixós foram proibidos em muitos países na Ásia. Os riquixós comuns têm sido substituídos, principalmente na Ásia, pelos ciclo-riqexós. Há no entanto notícia de corridas à margem da lei e perseguidas

A Charrette — É um meio de transporte que antecede o advento dos veículos a vapor. Movida por tração animal, a carroça era o meio de transporte mais utilizado para o deslocamento de carga e pessoas de um lugar a outro. Hoje em dia, é pouco comum o uso de carroças no trânsito dos grandes centros urbanos, sendo no entanto presença habitual nos circuitos turísticos das grandes cidades, como sejam New York, Londres ou Paris.

O Barouche — Barouche, do latim, birotus – duas rodas, é uma carruagem semelhante à caleche, mas com duas rodas. Era puxada normalmente por quatro cavalos e levava no máximo seis passageiros. Tinha uma cobertura removível que cobria apenas a metade traseira do veículo. Era utilizada em ocasiões menos formais como por exemplo um passeio no parque ou no campo.

O Fiacre é uma forma de carro de praça , uma carruagem de quatro rodas puxada por cavalos. O nome é derivado indiretamente de S. Fiacre porque o hotel de Saint Fiacre em Paris alugou carruagens a partir de meados século XVII. S. Fiacre foi adoptado como padroeiro dos motoristas de táxi por causa da associação de seu nome com o transporte. Em 1645, Nicholas Sauvage, de Amiens, criou uma máquina de transporte e decidiu montar um negócio em que os cavalos e as carruagens eram mantidos em Paris e alugados. Ele instalou-se no Hôtel de Saint Fiacre e alugava suas carruagens de quatro lugares a 10 soldos por hora.

Benz Patent Motorwagen — A história do automóvel inicia-se por volta de 1769, com a criação do motor a vapor para automóveis. Em 1807 apareceram os primeiros carros movidos por um motor de combustão interna a gás, o que levou ao aparecimento em 1885 do moderno motor a gasolina ou com combustão a gasolina. O ano de 1876 é considerado o ano de nascimento do automóvel moderno – com o Benz Patent-Motorwagen, pelo inventor alemão Karl Benz. Carros movidos a energia elétrica apareceram brevemente à viragem do século XX, mas praticamente desapareceram até ao final do século.

Fiat 1 ou Fiat 1 Fiacre foi um automóvel produzido em série pela Fiat, de 1908 a 1910. A capacidade do seu motor era de 2.2 litros (2200 cc) que produziam uma potência de 16 cv e atingia uma velocidade máxima do de 70 km/h. Foram produzidas cerca de 1 600 unidades do Fiacre, e o seu uso foi principalmente como táxi. O modelo foi vendido em Itália e noutros lugares tendo sido usado como táxi em Nova York, Londres, Paris e noutras cidades.

O Minerva — Minerva foi uma proeminente marca de automóveis de luxo belga que fabricou vários modelos entre os anos 1902 e 1938. Começou por fabricar bicicletas e motos e passou depois para os automóveis tendo fechado portas em 1956.

Riquexó a pedais — O Riquexó tem tradição quer no oriente quer no ocidente. Estas fotos foram tirada nos anos 40 em Copenhaga onde existia um serviço de pedi táxi. Esse serviço manteve-se tendo experimentado nos últimos anos um enorme incremento em muitas cidades europeias e americanas alicerçado em valores ambientais e de sustentabilidade.

Riquitó — Amigo do ambiente, sustentável, glamoroso e confortável este é um veículo que não passa despercebido e se impõe pela sua classe e pela oferta de um serviço de exclusividade contrariando a pressa e o stress das cidades nos nossos dias.